Dubladores

Arthur Costa Filho


Arquivo de Som:

 
Sultão em Aladdin e Os 40 Ladrões (Longa-Metragem)


 
Biografia:

 
Arthur Costa Filho foi um dublador carioca.
 
Arthur Costa Filho nasceu em 30 de Julho de 1926, na cidade do Rio de Janeiro.

 

Início

 

Arthur Costa, pai de Arthur Costa Filho

 

Filho do ator de teatro de revista e cantor, Arthur Costa, e da dona de casa Carmela Costa, Arthur sempre foi ligado as artes. Aos 7 anos, cantava e dançava na Casa do Caboclo, no Teatro São José.

 

Rádio Cruzeiro do Sul

 

Sua carreira profissional começou no rádio como rádioator em 1939, quando tinha apenas 13 anos de idade, na Rádio Cruzeiro do Sul, no Programa do Garoto, com direção de Silvia Regina.

 

Na emissora, ficou até 1946, quando largou o rádio para ingressar na Companhia Eva Todor.

 

Rádio Nacional

 

Em Março de 1952, ingressa na Rádio Nacional, depois deixar a Companhia Dercy Gonçalves, com quem excursionou pelo interior do Brasil.

 

Arthur Costa Filho (1953)

 

Sua estréia na emissora foi no programa humorístico: A Família Braga (1952-53). Depois no mesmo seguimento atuou em: Eles Dois e... Alguém Mais (1957), ao lado de Floriano Faissal, Zezé Fonseca, Auricéia Araújo, e Abel Pêra, e Futebol de Graça (1959), ao lado de Wellington Botelho, Brandão Filho, e outros;

 

Na emissora, uma das produções que mais atuou foram nas novelas. Entre elas, temos: Óleo de Peroba (1953), Dois Irmãos... Dois Destinos (1953), Madalene (1953), Honra ao Mérito (1953), Uma Cruz de Madeira (1953), Jura Dizer a Verdade? (1953), Herança Maldita (1953), A Filha Maldita (1954), A Filha Maldita (1954), O Amor Que Não Era Meu (1954), Uma Nuvem Cobre o Sol (1954), O Preço da Esperança (1954), Filhos Sem Pais (1956), A Moça e a Rosa (1959), Noite do Meu Destino (1972), Último Natal, entre outros.

 

Em programas variados: foi por alguns anos o advogado de defesa em Tribunal dos Calouros (1952-54); além de atuar no programa Prós e Contras (1953); entre outros.

 

Em séries, entre outras participou de: Presídio de Mulheres (1954), e Atoman (1954).

 

Arthur Costa Filho (1966)

 

Arthur chegou a fazer excursões com artistas da Rádio Nacional pelo interior. Em 27 de Maio 1953, foi ao lado de Olga Nobre, Domício Costa, e o violinista Alvaro Arcoverde para o interior de São Paulo, Minas Gerais, Goiás, e Mato Grosso, passando por cidades, como Bragança, Campinas, São José do Rio Preto, Mirassol, Taquaritinga, Sertãozinho, e outras, totalizando um total de 38 cidades em 22 dias.

 

Trabalhou na emissora por 12 anos seguidos, tendo retornado a mesma em outros períodos.

 

Teatro

 

Na época que estava atuando na Rádio Cruzeiro do Sul, entrou para o Teatro Infantil da Associação Brasileira de Críticos Teatrais, que tinha como diretor Olavo de Barros, futuro diretor de rádioteatro da Rádio Tupi do Rio.

 

Ao seu lado na associação, também estavam Daisy Lúcidi, Domingos Martins, Dolores Duran, Neyda Rodrigues, seu primo Domício Costa, e outros que viriam a se tornar conhecidos no futuro no rádio.

 

Pela Associação Brasileira de Críticos Teatrais (ABCTA), atuou nas peças: Borboleta de Ouro (1941), Branca de Neve Os 7 Anões (1944), ao lado de Daisy Lúcidi, e Domingos Martins, Ana Lucia no País das Fadas (1944), ao lado de Daisy Lúcidi, Domingo Martins, e Nathália Timberg, entre outros.

 

Ainda no teatro infantil, entrou para o grupo Os Mascarados, atuando na peça natalina: O Noviço (1942).

 

4 anos depois, veio o seu primeiro convite profissional para o teatro: ingressar na Companhia Eva Todor. Permaneceu por 5 anos na companhia, atuando com grandes atores e atrizes, e se apresentando em várias partes do Brasil, inclusive até em Portugal.

 

Arthur Costa Filho (1955)

 

Entre as peças que atuou com a companhia, estão: Cândida (1946), Se Eu Quisesse (1947), Lili do 47 (1949), de Joracy Camargo, Cândida (1949), Ai Tereza (1950), História de Uma Casa (1950), e Bagaço (1951), de Joracy Camargo.

 

Com a peça Cândida (1946), viajou para vários estados do país, e 3 vezes para Portugal: 1948, 1950, e 1960. Também se apresentou em países africanos, como Angola, Moçambique, Rodésia (hoje Zimbabwe), e nas cidades Salisburry e Untale na África do Sul.

 

Na companhia, trabalhou ao lado de Alberto Perez, Iris Del Mar, Eva Todor, André Villon, Elza Gomes, Afonso Stuart, Armando Braga, Judith Vargas, além do escritor das peças, Joracy Camargo.

 

Em 1951, entrou para a Companhia Dercy Gonçalves, aonde excursionou pelo norte do país no ano posterior a sua entrada. Deixou a companhia em Março de 1952, para ingressar na Rádio Nacional. Não temos informações das peças que atuou na companhia.

 

No mesmo ano, ingressa na Companhia Mário Brasini, aonde atua na peça: O Culpado Foi Você (1952), do deputado Nelson Carneiro, ao lado de André Villon, Edmundo Maia, Ligia Sarmento, e outros. Permanece na companhia até 1953.

 

Em 1955, retorna ao teatro depois de 2 anos afastado, ingressando na Companhia César Ladeira - Renata Fronzi, aonde atua nas peças: Com Força Total (1955), Piu Piu Para Você (1955), e Assim de Mulher! (1955).

 

No mesmo ano, entra em uma companhia de teatro musical, chamada Companhia Brasileira de Espetáculos Musicados, aonde atua no musical: De Cabral a J.K. (1955), de J. Maia e Max Nunes.

 

No ano seguinte vem a Companhia Silveira Sampaio, aonde atua nas peças: No País dos Cadillacs (1956), ao lado de Diana Morel, e Brasil De Pedro a Pedro (1956), de Silveira Sampaio.

 

Conchita de Moraes, Odilon Azevedo, Celme Silva, e Arthur Costa Filho (1957)

 

Em 1957, ingressa na Companhia Odilon Azevedo, genro da grande Conchita de Moraes, atuando com os 2 na peça: Vovó, Papai em Rock And Roll (1957), de Silveira Sampaio.

 

No mesmo ano, entrou para a Companhia Teatrinho Jardel de teatro infantil, aonde atuou na peça: A Revolta dos Brinquedos (1957).

 

Em 1959, esteve na Companhia Walter Pinto do teatro de revista, na peça: Adivinha o Que Eles Fazem (1959);

 

No mesmo ano, sai da Companhia Walter Pinto, e atua em outra revista: O Filé Vem de Fora (1959), no Teatro João Caetano.

 

Em 1960, ingressa na Companhia Estúdio A, na peça: Society em Baby Doll (1960), ao lado de André Villon, e Daisy Lúcidi.

 

No mesmo ano, retorna a Companhia Eva Todor, para algumas apresentações em Portugal, da premiada peça: Cândida (1960).

 

Arthur Costa Filho, Daniel Filho, Joana Fomm, e Gláucio Gil (1962)

 

Nos anos de 1960, atua em diversas peças, como: O Auto da Compadecida / A Compadecida (1962), em ao lado de Agildo Ribeiro, Edson Silva, Renata Fronzi, Joana Fomm, e outros, Toda Donzela Tem Um Pai Que é Uma Fera (1962), com Joana Fomm, e Renata Fronzi, A Canção Dentro do Pão (1962-63), ao lado de Pietro Mário, Chica da Silva 63 (1963), com Grande Otelo, Paulo Celestino, Betty Faria, e outros, A Tia de Carlito (1963), com direção de Fábio Sabag, e ao lado de Agildo Ribeiro, Domingos Martins, Mário Lago, e outros.

 

Em 1963, vai para o Teatro Nacional de Cultura, na peça: As Aventuras de Ripió Lacraia (1963), com Agildo Ribeiro, Francisco Milani, Milton Gonçalves, Tereza Rachel, e grande elenco.

 

Nessa ocasião de início dos anos de 1960, atua em muitas comédias, sendo muitas delas ao lado do humorista Agildo Ribeiro.

 

Posteriormente atua em: Os Cangurus (1964), de Ziraldo, com Adriano Reys, Dirce Migliáccio, Cláudio Cavalcanti, e outros, Caiu, Primeiro de Abril (1964), com Elizabeth Gaspar, Roberto Faissal, e Domício Costa, Guerra + Ou - Santa (1965), com Antônio Patiño, Beatriz Veiga, e Elza Gomes, e outros, Na Ponta da Corda (1965), com Renata Fronzi, Suely Franco, Iracema de Alencar, e Arlete Salles, A Vida Impressa em Dólar (1965-66), Esse Banheiro é Pequeno Demais Pra Nós Dois (1968), de Ziraldo, e Pepsi - Adultério Adulterado (1969), com Tereza Amayo.

 

José Luis Rodi e Arthur Costa Filho (1976)

 

Já nos anos de 1970, atua nas peças: Que Preguiça... (1970-71), com Zilka Salaberry, Alegro Desbum... (1973), com Gracindo Junior, Francisco Milani, e Berta Loran, Dona Xepa (1975), A Família Que Mata Unida (1976), com Antônio Patiño, e José Wilker, A Longa Noite de Cristal (1976), O Sapateiro do Rei (1976-77), peça infantil com direção de Gracindo Junior, ao lado de José Luis Rodi, e Grite na Hora Certa (1977), com Lady Francisco.

 

Em 1978, fez leitura dramática no auditório do Senai, ao lado de Castro Gonzaga, Nair Amorim, Juraciara Diácovo, Lourdes Mayer, Clarice Abujamra, e grande elenco.

 

Elenco da peça Sábado, Domingo e Segunda (1986)

 

Nos anos de 1980, atuou nas peças: Dom Quixote de La Pança (1980), com Elza Gomes, Henriqueta Brieba, e Dirce Migliaccio, Viva Sapata (1981), com Olney Cazarré, Renata Fronzi, e Oswaldo Louzada, Quem Gosta Demais de Sexo, Morre Fazendo Amor / O Espirro Milionário (1981-82), com Francisco Milani, e José Santa Cruz, O Dia Em Que Alfredo Virou a Mão (1983), com José Santa Cruz, Magalhães Graça, e Leonardo José, Brejhnez Janta Seu Alfaiate (1984), com Luiz Carlos Arutim, Dirce Migliáccio, Rogério Cardoso, Bertha Loran, Cláudio Corrêa e Castro, e Felipe Wagner, Sábado, Domingo e Segunda (1986-87), com Yara Amaral, Ary Fontoura, Paulo Gracindo, Renata Fronzi, e Paulo Goulart, e Filumena Marturano (1988-89), com Yara Amaral, José Wilker, Yolanda Cardoso, e Nathalia Timberg.

 

Miguel Falabella e Arthur Costa Filho (1993)

 

Nos anos de 1990, atua nas peças: As Bodas de Fígaro (1991), de Mozart, ao lado de Sueli Franco, Mephisto (1993), com direção de José Wilker, ao lado de Cássia Kiss, Miguel Falabella, Othon Bastos, Paulo Gorgulho, e Sérgio Brito, O Reformador do Mundo (1994), e Somos Irmãs (1998), direção de Ney Matogrosso, com Suely Franco, Nicette Bruno, Tamara Taxman, Otávio Augusto, e grande elenco.

 

No cinema fez alguns filmes como Cem Garotas e Um Capote em 1945, Vendaval Maravilhoso em 1949, Aí Vêm Os Cadetes em 1959, As Aventuras de Eva em 1961, O Enterro da Cafetina em 1970, O Grande Gozador em 1972, A Filha de Madame Bettina em 1973, Dona Flor e Seus Dois Maridos em 1976 e Romance da Empregada em 1987.

 

TV Tupi

 

Na TV, ingressou primeiramente na TV Tupi.

 

Entre alguns trabalhou que fez, está o programa Fantasia, em peças como: Um Pequeno Impulso (1954); e o programa Grande Teatro Tupi, em peças como: Cândida (1955).

 

TV Rio

 

Um tempo depois ingressou na TV Rio. Entre outros, atuou na emissora no programa Teatro da Radio Nacional, em peças como: A Sereia Louca (1958).

 

TV Continental

 

Em 1959, teve uma breve passagem pela TV Continental.

 

TV Rio

 

Em 1960, retorna a TV Rio. Na ocasião, atuou na emissora em programas teatrais como: Teatro de Comédias Piraquê (1960), e Estúdio A (1960).

 

TV Tupi

 

De volta a TV Tupi em 1961, atua no humorístico: As Aventuras de Eva (1961), ao lado de Eva Todor.

 

Um tempo depois, atua na novela: Não Quero Chorar (1966).


Rede Globo

 

Arthur Costa Filho e Glória Menezes (1970)

 

Na Rede Globo, ingressou em 1970. Na emissora, atuou principalmente em novelas, como: Irmãos Coragem (1970), O Homem Que Deve Morrer (1971), Bicho do Mato (1972), A Patroa (1972), Carinhoso (1973), O Casarão (1973), Estúpido Cupido (1973), À Sombra dos Laranjais (1977), Sinal de Alerta (1978), Feijão Maravilha (1979), Ciranda de Pedra (1971), Jogo da Vida (1981-82), Paraíso (1982), Roque Santeiro (1985), e Cambalacho (1986).

 

Arthur Costa Filho em Dona Flor e Seus Dois Maridos (1976)

 

Em séries, teve participações em Caso Verdade, em episódios como A Última Gota (1982), e Jornada de Amor (1982), nas séries Carga Pesada (1980), O Bem Amado (1984), Você Decide (1994-95), entre outros.

 

Participou também de minisséries, como: O Crime de Zé Bigorna (1974), Anos Dourados (1986), Engraçadinha... (1995), Seus Amores e Seus Pecados (1995), e Chiquinha Gonzaga (1999).

 

Participou também do humorístico: A Escolinha do Professor Raimundo (1990-93), interpretando o secretário da escola, Natanael, na qual teve poucas participações.

 

Outras TV's

 

Na década de 1950, chegou a se apresentar em 2 emissoras fora do Rio: TV Paulista em São Paulo, e TV Itacolomi, em Belo Horizonte. Acredito que isso tenha ocorrido quando foi viajar para essas capitais em turnê com alguma peça de teatro, e suspeito e tenha sido com a Companhia Renata Fronzi - César Ladeira, mas nada confirmado.

 

Música

 

Arthur Costa Filho (1966)

 

Arthur também era cantor e violinista, tendo participado no teatro algumas vezes tocando, como igualmente em novelas na TV, como na Globo, por exemplo. Também atuava assim nos intervalos de peças, como nas vezes que foi para Portugal, em 1948 e 1950 com a Companhia Eva Todor.

 

Disco

 

Em disco, participou do LP: Alberto Santos Dumont Centenário 1873-1973 (1973), ao lado de Carmen Dolores, Cahué Filho, Carlos Leão, Carlos Marques, Célia de Castro, Daisy Lúcidi, Geraldo Avellar, Neuza Tavares, e Wilton Franco, ambos rádioatores da Radio Nacional.
 

Vida Pessoal

 

Na vida pessoal, além de ser filho do ator Arthur Costa, também era primo do radioator Domício Costa.

 

Arthur, sua esposa e filha (1960)

 

Por volta de 1951, conhece Maria da Glória Barros, filha dos atores teatrais Andre Villon e Elza Gomes, com quem pouco tempo depois começou a namorar. Se casam no dia 26 de maio de 1952, as 17h, na Matriz de Nossa Senhora da Glória. Da união, nascem os filhos: Cláudia (1953), e Cláudio André (1954).

 

Arthur tinha um problema de saúde na coluna, que não o possibilitava de virar de forma comum seu pescoço para os lados, e mesmo com essa dificuldade, atuou no rádio, teatro e cinema, e ainda na dublagem, mostrando a força de vontade de quem almeja alcançar seus ideais diante de qualquer dificuldade.

 

Dublagem


Arthur começou na dublagem por volta de início dos anos de 1960 na Herbert Richers. Em seguida, ingressou na Dublasom Guanabara. Nos anos de 1970, ingressa na Tecnisom, aonde começa a dublar alguns clássicos para a Disney, e na Peri Filmes. Pouco tempo depois ingressa também na Telecine.

 

Nos anos de 1980, permanece apenas na Herbert Richers, e ingressa na VTI. No início dos anos de 1990, atua bastante na Delart, antiga Tecnisom, e também atua na Doublesound.

 

Dr. Zaius em O Planeta dos Macacos

 

Entre seus trabalhos, começamos com os filmes. Entre seus personagens, temos Engywook interpretados por Sydney Bromley e Tony Robinson, consecutivamente nos filmes A História Sem Fim I e A História Sem Fim III, e Dr. Zaius interpretado por Maurice Evans em O Planeta dos Macacos, e De Volta Ao Planeta dos Macacos. Além disso também foi o ator W.C. Fields em alguns filmes, como Se Eu Tivesse Um Milhão, e o ator Alec Guinness em A Queda do Império Romano.

 

Jeff Day em Vovô Viu a Uva

 

Em desenhos, foi a voz de Jeff Day em Vovô Viu a Uva, Super-Skrull em Os Quatro Fantásticos, e Tião Gavião na primeira dublagem de Os Apuros de Penélope Charmosa, e nos longas e séries Disney, personagens como Sacristão no longa Robin Hood, Imperador da China no longa Mulan, e Sultão de Agrabah no longa Aladdin e Os 40 Ladrões, e a segunda voz do mesmo na série Aladdin.

 

Em séries, foi a segunda voz do Vovô interpretado por Al Lewis na primeira dublagem de Os Monstros, além de ter feito fixos nas séries O Homem de Virgínia e Culpado e Inocente.

 

Há ainda informações errôneas na internet de que muitos personagens de Arthur feitos nos anos de 1960 teriam na verdade sido dublados por Amaury Gutemberg. Amaury passou apenas pelos anos de 1980, por não mais de 2 anos.
 

Arthur Costa Filho nos anos de 1990


Arthur dublou até o fim da vida, intercalando o seu trabalho como ator e o seu trabalho como dublador.
 
Veio a falecer em 31 de Janeiro de 2003 de infarto, aos 76 anos de idade no Bairro da Tijuca aonde residia.


Trabalhos:

 

Filmes

 

- Engywook (Sydney Bromley/Tony Robinson) em A História Sem Fim I e A História Sem Fim III

- Dr. Zaius (Maurice Evans) em O Planeta dos Macacos, e De Volta Ao Planeta dos Macacos
- Manny Rosen (Jack Albertson) O Destino de Poseidon

- Rollo La Rue (W.C. Fields) em Se Eu Tivesse Um Milhão

- Marcus Aurelius (Alec Guinness) em A Queda do Império Romano

- John Manchester (Lionel Barrymore) em Malaia

- Sr. Miller (Irving Bacon) em Música e Lágrimas

- Mike (William Fawcett) em Pistoleiro Relâmpago

- Chefe Cuyloga (Joseph Calleia) em O Tratado dos Moicanos

- Lorde Hartingdon (Hugh Williams) em Khartoum - A Batalha do Nilo

- Saito (Sab Shimono) em Fábrica de Loucuras

- Reverendo Mason (Patrick Cranshaw) em A Família Buscapé (1ª Dublagem)

- Senador William Duvall (Howard Duff) em Sem Saída

- Senador Phillips de Vermont (Eric Christmas) em O Enigma de Andrômeda

 

Séries

 

Vovô (Al Lewis) (segunda voz) em Os Monstros (1ª Dublagem)

 

Desenhos

 

- Darren McGavin em Gárgulas
-
Sultão de Agrabah em Aladdin e Os 40 Ladrões (Longa-Metragem), e (segunda voz) em Aladdin (Série)
- Imperador da China em Mulan (Longa-Metragem)
- Sacristão em Robin Hood (Longa-Metragem)

- Barba Vermelha em A Turma da Gatolândia

- Treinador dos Rhinos em Os Tremendões

- Jeff Day em Vovô Viu a Uva

- Super-Skrull em Os Quatro Fantásticos

- Tião Gavião em Os Apuros de Penélope Charmosa (1ª Dublagem)

- Doutor Rato em Bernardo e Bianca na Terra dos Cangurus (Longa-Metragem)

- Corvo em Regresso ao Mundo Maravilhoso de OZ

 

Fontes: Dramaturgia Brasileira - In Memoriam, Acervo Pessoal, Dublanet, História da Dublagem, Revista do Rádio, Diário de Notícias, Última Hora, O Jornal, Gazeta de Notícias, A Noite, Jornal do Brasil, Todo Teatro Carioca, Lojinha dos Discos, Cinemetro, Antenados, A Manhã, Correio da Manhã, Marília Pera.com.br, Joana Fomm - Minha História é Viver, Livraria Imprensa Oficial, Wikipédia, Jornal do Brasil, Mundo Hanna-Barbera.