Artigos

Artigos de Revistas

Entrevista com Christiano Torreão para a edição N° 132 de Novembro de 1997 Para a Revista Herói, contando sobre sua carreira, os personagens que dublou e sobre o Hiei de Yu Yu Hakusho.

Mais uma vez furamos a greve dos dubladores para trazer até você uma entrevista exclusiva com Christiano Torreão, o ator que empresta sua voz para Hiei, um dos mais poderosos aliados de Yusuke em Yu Yu Hakusho.

 

Hiei é o personagem mais sombrio e misterioso dentre todos os heróis de Yu Yu Hakusho. Seu passado oculta fatos que o levaram a odiar a todos e a se tornar um ladrão cruel e temido entre os monstros do Makai e todos no Mundo Espiritual.  

 

Apesar de seu passado sombrio, a essência de Riei não é má. lê está disposto, por exemplo, a proteger sua irmã Yukina de qualquer perigo que ela corra.  

 

Decidido, o demônio detesta pessoas de pensamento lerdo e idéias fracas. O caso é que Kuwabara se encaixa nesta descrição. Por isso mesmo, Hiei acha que o bad boy é um abobalhado. As vezes ele chega até a exagerar, como quando Kuwabara foi raptado por Sensui e sua turma e ele se recusou a ajudar Yusuke a resgatá-lo. Na verdade, Hiei gosta de passar uma impressão que ele não se preocupa com seus amigos. Mas no fundo ele é um companheiro zeloso e usará seus poderes sobrenaturais para defender seus amigos, sua irmã, além, é claro, de detonar todo tipo de capeta que se meta a besta com ele ou tente espalhar o mal em qualquer Mundo, seja o Espiritual ou o Mortal.  

 

Tantas características de Hiei ficaram ainda mais realçadas com a interpretação precisa de Christiano Torreão, o dublador do personagem. E é o próprio ator, em entrevista exclusiva concedida a P. h.  o correspondente da Herói, no prédio da Áudio News, no Rio de Janeiro, onde o desenho é dublado.  

 

Neste descontraído bate-papo, Christiano conta como começou sua carreira, fala sobre os principais personagens que dublou e, como não poderia ser diferente, onde buscou inspiração para caracterizar a voz de Hiei da forma que o personagem exigia.  

 

Marcelo Del Greco.

Como você começou sua carreira?

Tudo começou quando eu percebi que tinha jeito para dublagem. Foi quando também descobri que para dublar precisava conseguir um registro de ator. Imediatamente procurei um curso profissional de teatro onde me formei ator. Além disso, eu também queria trabalhar como locutor da rádio Fm, e cheguei até a gravar algumas vinhetas para o programa da radialista Andréia Gasparetti. Entretanto, como a dublagem já estava me consumindo todo o tempo livre, fui obrigado a optar entre uma coisa ou outra, e a dublagem acabou levando vantagem. Uma vez feita a escolha, comecei a aperfeiçoar o me e a minha interpretação, passando a me situar no mercado de dublagem. E assim fui chamado para diversos trabalhos.
 
O que você anda fazendo profissionalmente em dublagem?

Faço o Craig Field de Melrose Place, o Adam dos Power Rangers, Gary da série Mulher Nota Mil, Lucas do Sea Quest e faço o P. j. do desenho animado do Pateta. P. j. é o filho do Bafo de Onça e é um dos personagens que mais gosto de fazer. Não posso esquecer, é claro, do Hiei de Yu Yu Hakusho.

Você prefere fazer séries ou longa metragens?

Acho que nos seriados é possível fazer um trabalho melhor, pois você acompanha o personagem e com isso acaba se familiarizando com suas características, trejeitos e falas. Em um longa metragem você dubla uma vez e pronto. Não dá nem para conhecer o jeito de um determinado ator. Acho que uma série dá muito mais trabalho ao profissional, mais é muito mais gratificante.
Como você compõe um personagem?

No caso de Yu Yu Hakusho, assim que olhei para o Hiei, a primeira voz que me veio na cabeça foi exatamente a que coloquei nos primeiros testes para a seleção dos dubladores. Eu usei uma fala sinistra para o Hiei que inclusive não tem nada a ver com a minha...que ele tem uma cara meio fechada, meio mal e ao mesmo tempo é um cara dom bem. O formato dos olhos do Hiei também me passou uma impressão dura do herói.

Como você descreveria o Hiei?

Não considero que o Hiei seja um personagem de muitas falas no desenho. Mas uma coisa é certa: o seu jeito meio caladão às vezes surpreende. Ele pode ficar a maior parte do tempo sem dizer nada,mais quando abre a boca, geralmente fala coisas que são decisivas para o desfecho de determinadas situações. Hiei é um cara muito respeitado.

O Hiei tem algo a ver com a personalidade do Christiano?

Eu me considero uma pessoa que procura fazer sempre o bem, assim como Hiei. Outra coisa que temos em comum é o fato de sermos bastante companheiros de nossos amigos.

 


Como é o trabalho da equipe no estúdio?

Uma coisa que muita gente não sabe é que dublamos um filme ou um desenho animado através de escalas. Na maioria das vezes, nós da equipe de Yu Yu, não nos encontramos todos os dias. Por exemplo, apareço para gravar as falas do Hiei, e vou embora.

Dessa maneira não fica difícil acompanhar a série?

 

Com certeza. Além de gravarmos separados uns dos outros, nosso volume de trabalho é muito grande e dublamos outras séries também. Por isso às vezes fica difícil acompanhar os capítulos de um desenho e saber de tudo que acontece. Quando chego no estúdio para dublar, muitas vezes já pego um determinado capítulo do desenho bem adiantado. Isso acontece, quando meu personagem só fala no meio da história.

E sua relação com animação japonesa?

 

De todas as animações que assistia quando criança, Speed Racer é o que me traz as melhores lembranças.

E sua relação com animação japonesa?

De todas as animações que assistia quando criança, Speed Racer é o que me traz as melhores lembranças.

Quanto ao assédio de fãs, você tem algo a reclamar?

Não imaginava que dublar uma série como essa, iria gerar tanta repercussão. A única coisa que reclamo são das ligações a cobrar que são feitas para os estúdios da Áudio News que no Rio. Devem ter achado nosso número na lista telefônica e não para de ligar. Às vezes isso perturba o nosso trabalho. Como a distribuidora colocou o nome dos dubladores nos créditos de produção de Yu Yu Hakusho, elas já ligam sabendo com quem vão falar. Pedem para chamar o Marco Ribeiro, o Christiano, o Peterson, e por ai vai.
 

O que você diria para quem gostaria de entrar para o mundo da dublagem?

Diria que ninguém pode ser dublador se não tiver um registro de ator, mais para freqüentar um curso não é necessário ter um. Por acaso dou aula em um curso de dublagem aqui no Rio, chamado Rga, um dos melhores que existe, e conta com um time de geras como: Jorge Eduardo, a primeira voz de Fox Mulder do Arquivo X; Mauro Ramos, o Dr.  Benton de Plantão Médico e Marlene Costa, a Professora Helena da novela Carrossel. O endereço para quem estiver interessado é Rua Japeri 39, Rio Comprido, Rio de Janeiro. Temos três turmas no sábado. Uma para crianças até 14 anos, outra para adultos, e uma especial para a terceira idade... que existe uma carência muito grande de dubladores mais velhos no mercado. Grandes nomes da dublagem foram falecendo, e ainda não foi possível renovar essas vozes.

E para terminar o que você gostaria de dizer?

Queria agradecer todo o carinho do púbico, e aproveitar para divulgar o e-mail do Christiano Torreão. Anotem aí:
torreão@mandic. com. br

 

Episódio a Episódio em Greve

 

Por causa da greve dos dubladores do Rio e de São Paulo todos os desenhos, séries, filmes e novelas tiveram suas versões para o português paralisadas por um tempo indeterminado. Por causa disso a seção Yu Yu Hakusho Episódio a Episódio dará um tempo fora das páginas da Herói.  

 

No final dos anos 70 movimento semelhante entre os dubladores levou, ao final da greve, com à quebra da imortal dubladora Aic São Paulo (hoje chamada de Bks), e mais tarde da CineCastro. Desta vez a primeira vítima parece ser a Gota Mágica de São Paulo.  

 

Os dubladores estão reivindicando o aumento de R$ 20,00 a hora no estúdio para R$ 80,00. O pessoal de São Paulo ainda pede para que todos tenham carteira de trabalho assinada, coisa que só ocorre no Rio.  

 

A Manchete também aproveita a parada nas dublagens dos animes para reprisar a segunda fase de Yu Yu Hakusho, e depois colocar a terceira e última etapa das aventuras de Yusuke.

Agradecimentos ao Centro Cultural da Juventude de São Paulo pelo Material.