Dubladores

Edson Silva


Arquivo de Som:

 
Homem Gavião em Homem Gavião


 
Biografia:

 
Edson Silva foi um dublador Carioca.

 

Edson Silva nasceu em 1935 em Juiz de Fora, Minas Gerais.

 

Teatro

 

Foi ainda muito jovem, em 1951 para o Rio de Janeiro tentar teatro. Logo que chegou a capital fluminense, ingressou no Teatro do Estudante, atuando ao lado de Paschoal Carlos Magno, que era a figura central da companhia. Pouco tempo depois, começa a estudar teatro na companhia, o que o fez por alguns meses.

 

Logo em seguida, excursou pelo nordeste do país com o Teatro, atuando em peças, como: Romeu e Julieta (1952), Edigo Rei (1952), e O Noviço (1952), ambas em Recife, Pernambuco.

Na mesma época, é convidado pelo Teatro do Estudante de Pernambuco, e tem destaque na peça: Otelo (1952), com a qual viajou por algumas cidades. De volta a Recife, é um dos atores que inaugura o Teatro Duse, aonde atua em diversas peças com a companhia, como: João Sem Terra (1952), ao lado de Geny Borges e René Vicent, Terra Queimada (1952), e Hécuba (1952).

 

De volta ao Rio de Janeiro, faz sua estréia como diretor de teatro, na peça infantil: A Revolta dos Brinquedos (1953).

 

Logo em seguida, ingressa na Companhia Dramática Nacional, aonde atua em: A Falecida (1953), ao lado de Sérgio Cardoso e Sônia Oiticica.

 

No ano seguinte, é convidado para ir a São Paulo pela Companhia Nídia Lícia - Sérgio Cardoso, Na companhia, atua nas peças: Lampião (1954), e Sinhá Moça Chorou (1955).

 

Edson Silva (1956)

 

No mesmo ano, retorna ao Rio, e ingressa na Companhia Lucy Veloso - Armando Couto. Na companhia, atua nas peças: Do Tamanho de Um Defunto (1955), Bonito Como Um Deus (1955), e Aconteceu às 5... E um Quarto (1956). Atuou na companhia ao lado de Lucy Veloso, Armando Couto, Renato Consorte.

 

A Companhia Teatro Nacional de Comédia vem no ano seguinte, com as peças: Memórias de Um Sargento de Milícias (1956), A Bela Madame Vargas (1956), ao lado de Beatriz Veiga, O Telescópio (1957), e Pedro Mico (1957).

 

Nos anos seguintes, participa de diversas peças, como: Os Sete Gatinhos (1958), de Nelson Rodrigues, ao lado de Jece Valadão e Iolanda Cardoso, Peguei um Ita no Norte (1960), ao lado de Magalhães Graça e Sônia Mamede, Baile do Municipal (1960), ao lado de Ângela Bonatti, Glauce Rocha, Sérgio Brito, Zilka Salaberry, Fábio Sabag, Geraldo Alves, e outros, O Auto da Compadecida (1962), ao lado de Agildo Ribeiro, Renata Fronzi e Joana Fomm, e O Cunhado do Presidente (1964), de Aurimar Rocha.

 

Edson Silva e Tônia Carrero (2007)

 

Em 1964, retorna ao Teatro Nacional de Comédia, na peça: A Noite de 16 de Janeiro (1964), de Fábio Sabag, ao lado de Maria Pompeu, Zilca Salaberry, Tereza Amayo, Moacir Deriquém, Sadi Cabral, Antônio Patiño, e Francisco Milani.

 

Em 1965, entra na Companhia Cacilda Becker, aonde atua na peça: O Santo Milagroso Suburbano (1965).

 

Suas últimas peças, foram: As Mãos de Eurídice (1966), de Fábio Sabag, ao lado de Rodolfo Mayer, Á Úlcera de Ouro (1967), ao lado de Ari Fontoura, Cláudio Cavalcanti, e Fábio Sabag, Maria Quitéria (1970), A Última Estação (1971), e Os Pintores de Canos (1977), uma leitura dramática feita ao lado de Fábio Sabag, com direção do mesmo.

   

Cinema

 

Vera Regina e Edson Silva (1958)

 

Também ficou muito conhecido no cinema, aonde atuou nos filmes: Ladrão em Noite de Chuva (1960), Por Um Céu de Liberdade (1961), Essa Gatinha é Minha (1966), Mineirinho Vivo ou Morto (1967), Carnaval Barra Limpa (1967), Os Viciados (1968), O Rei da Pilantragem (1968), A Noite do Meu Bem (1968), As Escandalosas (1970), Edy Sexy, o Agente Positivo (1971), Como é Boa Nossa Empregada (1973), Quando Elas Querem... e Eles Não (1975), e Quem Matou Pacífico? (1977).

 

TV Tupi

 

Começa a atuar na emissora por volta de 1965/66.

 

Um de seus primeiros programas de sucesso, está o Vesperal Trol (1956), conhecido também como Teatrinho Trol. Atuou nas produções do programa de 1956 à 1966, ou seja, do início ao fim do programa. Nas produções, atuava com todo o tipo de personagem.

 

Entre as centenas de histórias no programa, temos: As Três Flores Encantadas (1958), ao lado de Paulo Padilha, Iris Bruzzi, Roberto de Cléto, Guilherme Correia, Rita Cléos, entre outros.

 

Nessa ocasião que começa amizade com o diretor do programa, Fábio Sabag, que perdurou por toda uma vida.

 

Também atuou por muitos anos no Grande Teatro Infantil, em peças, como: Princesa na Pele de Burro (1958), com direção de Fábio Sabag, ao lado de Raimundo Duprat, Roberto de Cleto, entre outros outros.

 

TV Rio

 

Edson também teve uma passagem pela TV Rio, atuando no programa Studio A, em peças, como: A Hora Final (1959), ao lado de Mário Lago, Álvaro Aguiar, Antônio Patiño, Edmundo Maia, Neyda Rodrigues, Waldir Fiori e Ariel Dantas.

 

Logo em seguida, retorna, ou fica exclusivamente na TV Tupi.

 

TV Tupi

 

Retorna a TV Tupi, continuando atuando no Teatrinho Trol e no Grande Teatro Infantil até final da década de 1970.

 

TV Globo

 

Em 1969, vai trabalhar na Rede Globo. Na emissora, atua em diversas novelas, como: A Última Valsa (1969), Fogo Sobre Terra (1974), Cuca Legal (1975), O Astro (1977), Memórias de Amor (1979), Água Viva (1980), As Três Marias (1980), Terras do Sem-Fim (1981), Sol de Verão (1982), Voltei Pra Você (1983), e Um Sonho a Mais (1985).

 

Também atuou na emissora na primeira novela infantil a cores no Brasil: Pluft, o Fantasminha (1975).

 

Rede Manchete

 

Em 1986, com a parceria entre Globo e Manchete, muitos atores e diretores vão de uma emissora a outras em atuações em novela, e Edson não foi diferente. Atuou nas novelas: Dona Beija (1986), e Mania de Querer (1986).

 

TV Globo

 

De volta a emissora em 1988, atua nas novelas: Bebê a Bordo (1988), O Sexo dos Anjos (1989), História de Amor (1995), Anjo de Mim (1996), Por Amor (1997), Laços de Família (2000),  Mulheres Apaixonadas (2003), e Senhora do Destino (2004).

 

Também atuou em séries da emissora, como na série policial: Você Decide (1994-95-96); e no seriado: Brava Gente (2002).

 

Se afastou da televisão no início dos anos 2000.

 

Homenagem

 

Edson em 1955, ganhou uma homenagem da Câmara Municipal de Juiz de Fora por sua atuação e dedicação no teatro.

 

Vida Pessoal

 

Edson namorou a atriz Thais Muniz Portinho da TV Globo em 1965.

 

Dublagem

 

Edson Silva ingressou na dublagem por volta de 1966/67 pela Dublasom Guanabara. Coincidência ou não, na mesma época, estava acabando o programa Vesperal Trol da Tupi, no qual ficou por 10 anos. Também ingressou na época na Herbert Richers.

 

Na Dublasom, teve várias participações em filmes, como o Tenente Pettinghill interpretado por William Short em Almas em Chamas, Pintor interpretado por Reginald Gardiner em A Senhora e Seus Maridos, Fritz Thornton interpretado por Raymond Greenleaf em Paixões Desenfreadas, além de pequenas participações em filmes, como Malaia, Estigma da Crueldade, Uma Noite no Rio, entre outros.

 

Homem Gavião

 

Seu personagem mais conhecido foi o Homem Gavião (também conhecido como Gavião Negro) no desenho O Homem Gavião, e também Associação de Justiceiros da América, todos dublados por volta de início dos anos de 1970 na Herbert Richers. Também participou na emissora de outros desenhos, como Super Galo.

 

Em séries, fez a voz de Chin Ho interpretado por Kam Fong na série Hawaii 5.0.

 

Com o fim da Dublasom Guanabara nos anos de 1970, Edson permanece apenas na Herbert Richers.

 

Em final dos anos de 1970, início dos anos de 1980, ele se ausenta da dublagem, se dedicando apenas a televisão.

 

Edson Silva e Luciana Sabag, filha de Fábio Sabag (2007)

 

Edson nunca foi escalado para personagens principais, tanto no Teatro/TV/Cinema, como na Dublagem, sempre fez os coadjuvantes, mas seu rosto e voz ficaram muito marcado nas gerações dos anos de 1960 e 1970, pela constância de seus trabalhos.


Trabalhos:

 

Filmes

 

- Tenente Pettinghill (William Short) em Almas em Chamas

- Pintor (Reginald Gardiner) em A Senhora e Seus Maridos

- Fritz Thornton (Raymond Greenleaf) em Paixões Desenfreadas

- Miguel Alvare (Michael Ansara) em Viagem Ao Fundo do Mar

 

Séries

 

- Chin Ho (Kam Fong) em Hawaii 5.0

 

Desenhos

 

- Homem Gavião em O Homem Gavião, e Associação de Justiceiros da América

 

Fontes: Adoro Coadjuvantes, Augusto Bisson, Carlos Amorim, A História da Dublagem, O Jornal, Diário de Notícias, Wikipédia, História do Cinema Brasileiro, Correio da Manhã, Enciclopédia Itaú Cultural, Filmow, IMDB, Marcelo Almeida, The Cartoon Scrapbook, InfanTV, Memória Globo.